Blog Universo Sertanejo

Arquivo : michel teló

Te dar um beijo: Michel Teló com Prince Royce
Comentários Comente

André Piunti

Na próxima semana, Michel Teló lança oficialmente sua nova música a ser trabalhada, “Te dar um beijo”. A canção é a primeira após o DVD “Sunset”, que rendeu “Levemente Alterado” como a última de trabalho.

A nova música conta com a participação do cantor americano (mas que canta música latina) Prince Royce. A canção é uma versão de um mega sucesso de Royce do ano passado, “Darte un beso”.

teloros

No próximo dia 24, Teló e Royce se apresentam, juntos, na cerimônia de premiação do Billboard Latino, em Miami.

A produção musical ficou por conta do próprio Michel.

___

piunti-600x70

tetb


Encontros inusitados
Comentários Comente

André Piunti

Dois encontros inusitados e um terceiro “bonitinho” aconteceram na semana passada.

Na terça-feira, em Londrina, Fernando e Sorocaba se apresentaram na Expo Londrina. Em um momento do show, Sorocaba convidou um rapaz chamado Marquinho. Tratava-se de seu primeiro parceiro, com quem formou a dupla Marquinho e Sorocaba. O rapaz, que hoje trabalha na equipe da dupla, cantou “Noite Enluarada” ao lado de Sorocaba.

meso

No mesmo show, quem também subiu ao palco foi Kamilly, filha de Fernando, que mora em Londrina. Ao lado do pai, ela cantou “Homens e Anjos”, e a própria produção da dupla postou um vídeo com a apresentação. O vídeo pode ser conferido no final da postagem.

ferfil

Na quarta-feira, outro encontro curioso. Durante a apresentação de Michel Teló na Wood’s de São Paulo, quem fez uma participação especial foi Guilherme Bertoldo, ex-líder do Tradição, atualmente o Thiago da dupla Thaeme e Thiago.

Dois ex-Tradição dividindo o palco.

mgui

Abaixo, segue o vídeo do Fernando cantando com sua filha, Kamilly.

___

piunti-600x70

tetb


Sem perder tempo
Comentários Comente

André Piunti

Sinto um incômodo imenso quando fico um dia sem postar, como aconteceu ontem, mas geralmente é por bons motivos.

Estou em um projeto que, garanto, é muito legal, e que me tomou um tempo que impossibilitou qualquer postagem aqui na quinta-feira.

O projeto é com o Michel Teló, ainda (quase) secreto e com o Fernando Hiro (além de mais uma turma). Michel inclusive postou uma foto da reunião que a gente teve.

mtns

___

Além disso, na tarde da quinta, gravei um depoimento para o “Domingo Espetacular”, da Record, sobre o acidente envolvendo a filha do Giovani.

Coube a mim falar sobre a carta que ele divulgou através do blog, em 2012, na época em que o problema de pagamento de pensão veio a público. Como o assunto é extenso e a edição é bem justa, não sei exatamente se minhas falas irão ao ar, mas de qualquer forma fica aqui o registro.

Tudo repercussão do texto que escrevi na quarta, sobre o acontecido. Domingo, no Cowboy Nativa, a partir das 20h na Rádio Nativa, falo um pouco também sobre o assunto.

Voltemos a nossa programação normal.

hersonhei


Tá tudo girando
Comentários Comente

André Piunti

Michel lançou, ontem no “Fantástico”, o clipe de “Levemente Alterado”, sua nova música de trabalho.

Bancando uma de motorista de taxi, ele pegou passageiros reais, saindo de baladas, e gravou o clipe.

Como já comentei aqui, a canção entrou no último DVD dele com participação de Bruninho e Davi, mas com a saída da dupla do escritório, Michel decidiu trabalhar a música sozinho.

O clipe pode ser conferido abaixo.

___

hersonhei


Prêmio Multishow para Paula, Luan e Teló
Comentários Comente

André Piunti

Ontem aconteceu a cerimônia de entrega do “Prêmio Multishow”, que causa uma grande mobilização de fãs durante a época de votações.

Nesta edição, três sertanejos saíram vencedores: Paula Fernandes, com o melhor show, e Luan Santana, como melhor cantor, e Michel Teló, que levou um troféu especial de “Prêmio Mais Mais”, por ser o artista mais bem sucedido nas redes sociais.

Como acontece sempre, fãs dos mais variados artistas reclamaram dos resultados, mas premiações são assim mesmo e as reclamações acabam fazendo da “tradição” dos eventos.

Quem quiser conferir a lista completa dos vencedores, pode clicar aqui. Além da votação popular, a que importa realmente, houve também prêmios distribuídos por um “júri especializado” e por um “superjúri”. Mais um daqueles exemplos de vergonha alheia que a gente tanto discute aqui.

E os alienados somos nós, claro.


Teló e João Bosco e Vinícius encerram primeiro fim de semana de Barretos, marcado por grande público, frio e maratona de shows
Comentários Comente

André Piunti

Michel Teló, João Bosco e Vinícius e Kleo Dibah e Rafael encerraram o primeiro final de semana da Festa de Barretos, na noite de ontem. Foi a noite do Hospital de Câncer de Barretos, da qual toda renda, além do cachê dos artistas, é revertida à fundação responsável pelo Hospital.

Os shows tiveram alguns minutos a menos por se tratar de um domingo. Começaram às 22h, bom horário, tendo em vista que os dias anteriores atravessaram a madrugada.

Sem público oficial ainda divulgado, dá pra dizer que havia umas 20 mil pessoas ontem na Festa, público legal para um domingo um pouco frio.

___

-Primeira semana forte

Barretos se acostumou, nos últimos anos, a tomar corpo ao longo da Festa. A primeira semana apresentava um público médio, e a segunda semana entupia. Na edição atual, a situação é bem diferente. A Festa começou lá no alto, com um fim de semana muito cheio, principalmente no sábado.

___

-Até de madrugada

As noites da festa estão acabando cada vez mais tarde. Nos últimos anos, os rodeios se acostumaram a dar início aos shows após a meia noite. A grande diferença é que como a programação daqui é extensa, frequentemente tem show acontecendo enquanto o céu está clareando. Apesar de existir quem ache ruim, eu até acho interessante (pra curtir, porque pra trabalhar é mais complicado).

___

-Dobradinha

Ter dois shows de Jorge e Mateus e dois de Gusttavo Lima no sábado também foi algo que chamou a atenção. Imagine um artista qualquer do qual você seja fã. Qual a chance de você conseguir assistir a duas apresentações completas dele em um intervalo de uma hora? Muita gente repetiu o show em vez de assistir a dois diferentes.

___

-No ano que vem

Durante a apresentação do Gusttavo, foi anunciado que ele será o embaixador da Festa no ano que vem, e que seu DVD também será gravado por aqui. Como está muito longe ainda, é melhor aguardar. De qualquer forma, fica o registro.

___

-Dois palcos principais

A direção da Festa comemorou o sucesso do Villa Mix, que fez do Palco Esplanada, secundário, praticamente rivalizar com o palco do Estádio, o principal. A intenção é de que fique cada vez menor a diferença de importância entre um palco e outro, e que o público se acostume a não ficar parado somente em um local durante toda a noite. No sábado que vem, haverá mais uma investida na ideia. Paula Fernandes toca no Esplanada, depois Chitão e Bruno tocam no Estádio, e Rionegro encerra a noite no Esplanada.

___

-Frio

O frio deu as caras com força, principalmente na quinta (segundo relatos) e no sábado (senti na pele). Fez muito frio durante as madrugadas.

___

-Catra

Apesar de boa parte do público ter respondido bem durante a apresentação do Catra, houve reclamações de pessoas de dentro da organização. Mesmo com toda a farra, Barretos é uma festa familiar, e alguns versos ditos pelo Catra, com palavrões e com conotação sexual, incomodaram.

___

-Hit?

Todo ano Barretos tem uma música em destaque. Esse ano, até o momento, não há.

___

-Gospel

Hoje, segunda-feira, acontece uma “noite gospel”, que como já era de se esperar, tem sido fruto de reclamações de muitos frequentadores.


Projeto beneficente “Inverno Sem Frio” leva show de Teló ao Palácio dos Bandeirantes
Comentários Comente

André Piunti

No próximo dia 17, em São Paulo, o projeto beneficente “Inverno Sem Frio” realiza sua 10ª edição.

O evento acontecerá no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, e contará com um show do Michel Teló, apresentado pelo Márcio Garcia.

Quem doar 50 cobertores, ganha um ingresso. Quem doar 100 ou mais, ganha um par de convites. Para doar os cobertores e entender mais sobre o evento, clique aqui.

Para mais informações e pré-reservas, há o número da Skye Produções: 11 3293 1523.

O evento estava marcado para o mês passado, mas foi adiado para julho por conta das manifestações.

Ontem, Michel divulgou o evento através de seus canais de internet.


Paula Fernandes, Teló e Chitãozinho e Xororó gravam nova edição de “Um barzinho, um violão”
Comentários Comente

André Piunti

Nesta segunda e terça, 17 e 18, acontece no Rio a gravação do quinto volume do projeto “Um Barzinho, um Violão”, que como a maioria se lembra, tem uma edição, lançada em 2009, exclusivamente sertaneja.

O novo projeto, que será lançado em CD e DVD, reunirá trilhas de novela dos anos 1980.

Dentre os 22 artistas convidados, três são sertanejos: Paula Fernandes e Chitãozinho e Xororó, que gravam hoje, e Michel Teló, que grava amanhã.

___

Falando em Paula, a Universal Music está lançando um EP da cantora (CD com quatro músicas).

Ao preço de R$ 9,90, o CD traz quatro canções, lideradas por “Um ser amor”, destaque na novela “Amor à Vida”. As outras três canções são “Além da Vida”, “Apenas Flor” e “Céu Vermelho” (na minha opinião, a melhor composição dela).


No dia dos namorados, Michel Teló canta pra…você
Comentários Comente

André Piunti

Hoje, dia dos namorados, Michel Teló lança um projeto grande, trabalhoso, que levou quase um semestre pra ficar no ponto.

Utilizando a música “Maria”, recém-lançada por ele, Teló gravou os nomes de mais de 300 mulheres e os colocou no refrão no lugar em que se canta “Maria”, para que essas versões sejam usadas neste especial de dia dos namorados.

Tentando explicar de forma mais sucinta possível, basta você entrar na página www.micheltelocantapravoce.com.br, fazer o login com seu Facebook, e escolher o nome da sua namorada, sua amiga, ou até o seu mesmo, caso você seja mulher.

Utilizando os dados do seu Facebook, inclusive as fotos, a canção e um clipe serão criados automaticamente.

O vídeo, feito com seu nome e suas imagens, gerará um link pra que você possa compartilhar onde quiser. A música com seu nome poderá ser comprada no iTunes.

Abaixo, algumas imagens do vídeo com o nome Karen, nome da minha irmã.

Pra acessar o projeto, basta clicar aqui.


Teló lança novo DVD e fala de carreira internacional, Paula Fernandes e Virada Cultural
Comentários Comente

André Piunti

Michel Teló está lançando, nesta semana, “Michel Teló – Sunset”, o 3º CD e DVD de sua carreira solo, iniciada em 2009. Na próxima quinta-feira, na Brook’s, em São Paulo, ele realiza um coquetel para convidados, seguido de um show com venda de ingressos.

O projeto, que chega com o desafio de manter Michel como um dos principais artistas do país, traz dois nomes convidados: Paula Fernandes e a dupla Bruninho e Davi. As gravações aconteceram em 3 cidades durante fevereiro e março: Guarujá-SP, Florianópolis-SC e Angra dos Reis-RJ.

Do novo CD/DVD, “Love Song” já foi trabalhada nas rádios, e foi recentemente substituída por “Amiga da Minha Irmã”.

Abaixo, a conversa que tive com ele.

O seu novo projeto tem algumas canções românticas fortes, uma já foi trabalhada, outra vai ganhar destaque nos próximos dias, e uma terceira, gravada ao lado da Paula Fernandes, talvez seja a melhor do DVD. Você pretende passar a explorar esse lado romântico?

Pretendo explorar o romântico sim, mostrar pras pessoas que não me conhecem muito que eu também tenho esse lado romântico. A gente sempre escolheu trabalhar músicas de balada, então tem horas que a gente precisa mostrar que nosso repertório é bem mais abrangente.

E como surgiu a ideia de convidar a Paula?

Eu sempre fui muito fã dela. O convite não é novo, eu quis que ela participasse dos meus outros DVD’s, mas não tinha dado certo. Dessa vez rolou, gosto muito dela pessoalmente e como artista, e concordo que a música acabou ficando uma das melhores do DVD.

Abaixo, “Se tudo fosse fácil”, gravada ao lado da Paula Fernandes.

Uma das principais românticas do disco, “Maria”, faz parte de um grande projeto que vocês mantiveram em sigilo desde o ano passado, e agora você resolveu abrir. Qual é esse projeto?

Eu gravei cerca de 400 nomes, além de “Maria”, pra um projeto que vai ser lançado pro dia dos namorados. Vai ser algo no qual a gente tá apostando muito, usando uma ferramenta do Facebook. Essa semana vai sair um clipe da música, e mais pra frente vai sair um clipe interativo. A menina vai poder ouvir a música com o nome dela em vez de ouvir o nome “Maria”, além de vários outros detalhes que a ferramenta possibilita, como usar imagens da pessoa no clipe. Eu acredito muito que vai andar bastante a brincadeira, já que é algo que ninguém fez ainda.

Abaixo, o teaser do clipe “Maria”, que será lançado na sexta-feira.

Como você recebeu a notícia de que havia sido premiado no Billboard Awards, no último domingo?

Cara, eu tava nessa correria de ensaiar o show novo e não tava sabendo da premiação. Fiquei sabendo pelo Twitter quando o pessoal começou a me dar parabéns. Eu vou falar o que? A resposta é a mesma de sempre, incrível. Lá nos Estados Unidos, numa premiação respeitada, uma música em português ganhando como principal música da América Latina, que tem tantos artistas estourados no mundo todo. É mais uma dessas coisas que a gente não entende, só fica muito feliz.

Uma das apostas do DVD é a música “Levemente Alterado”, gravada com o Bruninho e Davi. Qual sua relação com eles e por qual motivo você escolheu uma das canções mais fortes pra dividir com eles?

Os meninos fazem parte do meu escritório, “Brothers”. Fiz questão de colocá-los no projeto com uma música que é forte e tem a cara deles. Eles são irreverentes, tem essa linha mais de zoeira, e quando surgiu a “Levemente Alterado”, na hora já pensei neles. A música dando certo é bom pra mim, pra eles, pro escritório. Além disso, é legal que juntos a gente se diverte mais também.

Você tem 20 anos de carreira, e em 2012 você atingiu seu auge, chegou a um ponto no qual você nem imaginava chegar. Agora que uma parte grande dos seus objetivos foi concluída, o que te motiva? A vontade de subir ao palco continua a mesma?

É a música, cara. A música é mais forte que tudo. Não me vejo longe dos palcos, não me vejo sem cantar, sem tocar, sem me divertir fazendo o que eu gosto. Eu me prendo na ideia de formar uma carreira extensa, de muitos anos, não parar por aqui. Tenho 20 anos de carreira e muita gente me conheceu agora, então tenho muita coisa pra fazer pela frente. Acho que a gente tem que se apegar aos grandes exemplos. O Roberto Carlos é o maior deles. Cantou pra jovens, se reinventou e virou nosso maior artista. Esse desafio de se reinventar e permanecer é o que faz a gente seguir, junto com o amor pela música, claro.

Há uma frase famosa que fiz que fazer sucesso é difícil, mas se manter é mais difícil ainda. Você concorda com isso, já que seu estágio hoje é o de se manter no sucesso?

Eu discordo quando dizem que é mais difícil manter, eu acho que é igual. Mas olha… é difícil, viu? É engraçado porque é tudo muito louco, você não pode parar, tem que estar ligado o tempo todo, acelerado. Eu vejo tudo o que eu conquistei e penso: “como eu vou fazer isso de novo, estourar no mundo?”. É um desafio novo se manter e mostrar seu valor, tão difícil quanto fazer sucesso, mas isso é parte do nosso trabalho.

Você virou garoto propaganda de empresas grandes e continua sendo procurado pra grandes campanhas nacionais. No mercado sertanejo, rolam pesquisas que mostram que você tem uma rejeição muito baixa, e que carrega o que a gente chama de “boa imagem”. A que você acha que isso se deve?

Cara, eu acho que tem muito do respeito com que eu trato as pessoas. O carinho e o respeito pelo ser humano talvez seja um desses motivos, acho que isso acaba transparecendo quando alguém me encontra ou quando apareço na TV, não sei. Não sou um cara de polêmicas, sou muito tranquilo, e acho que isso faz com que as pessoas entendam que eu sou um cara.. Eu sou um cara que acredita em Deus, e acho também que pode ser um dom. Sou o mesmo cara no palco, no camarim, em casa, acho que as pessoas percebem isso e isso conta a favor pra mim.

É real a história de que a música “Aconteceu” foi baseada na sua história com a Thais Fersoza?

É isso sim… na verdade, quando eu tava no estúdio mexendo no repertório, o Neto Shaefer, que fez os violões, tava com a ideia do refrão na cabeça. Eu e o Dudu (Borges, produtor) sentamos com ele e a música foi saindo, e eu percebendo que a letra tava narrando o que aconteceu comigo e com a Thais. Os dois tavam numa situação de não querer se meter com relacionamento, eu tava trabalhando como nunca, mas aí a gente se encontrou e deu aquele estalo, aí… A música acabou narrando bem o que aconteceu com a gente.

Abaixo, a canção “Aconteceu”.

Como andam os projetos para o exterior? Tem algum show confirmado?

Eu não sei como está a agenda porque quem cuida é o Teotônio (Teló). A gente continua tendo pedido o tempo todo, mas não dá pra gente largar o mercado aqui. O meu DVD novo vai ser vendido em vários países, até o final do ano eu gravo um CD com músicas em inglês e espanhol pro mercado internacional, com todo o apoio da gravadora, mas sem loucura. Não tô me impondo a obrigação de estourar lá fora, mas é claro que a gente tem a intenção de seguir bem lá fora.

Um ano após aquela loucura do estouro da “Ai se eu te pego”, seguida de uma série de críticas, que você tirou de bom e de ruim?

Eu tirei sem dúvida mais coisas boas do que ruins. Como eu venho de uma cidade do interior, você não espera que sua vida vai mudar de uma hora pra outra como aconteceu. Tudo era notícia, você espirra e vira notícia, é muito maluco pra quem não tava acostumado com essas coisas. Você acaba aprendendo a lidar com isso e leva numa boa, hoje eu aprendi, mas na hora é uma pressão diferente. Receber críticas, por mais que você não perca tempo com elas, te deixam chateado. Eu tirei uma coisa muito boa que é aprender a me preocupar com quem fala e me conhece. Eu ouço muito quando um Roberto Carlos fala de mim, quando um Xororó fala de mim. Quem me critica sem saber da minha história, sei lá, deve ter alguma frustração, alguma inveja. Respeito quem não gosta, não tenho problemas com isso, mas acho complicado falar da carreira ou do trabalho de qualquer pessoa sendo que você não conhece o suficiente.

Você foi convidado pra participar da Virada Cultural, mas acabou não rolando. Os fãs de música sertaneja reclamaram muito da pouca representatividade do sertanejo dentro do evento (apenas Sérgio Reis e Renato Teixeira se apresentaram). Qual sua opinião sobre o assunto?

Eu fiquei feliz pelo convite, acho o projeto interessante, não pude por questões de data mesmo, principalmente por logística. Eu acho que deveria haver espaço igual pra todo mundo, não deixarem o sertanejo de lado. Cadê o palco sertanejo, as duplas tradicionais, o povo das antigas? Eu acho legal que haja espaço pra todo mundo, que todas as tribos estejam representadas, mas e a nossa? E o Milionário e José Rico? Sou a favor de que se faça um palco, chame um pessoal e deixa na mão dos sertanejos que eles sabem o que fazer. Podia rolar a história do sertanejo no palco, dos mais tradicionais aos mais novos, pra gente poder mostrar que esse sucesso de hoje não nasceu ontem.

E não defendo que imponham o que as pessoas vão ouvir. Não acho certo colocar um sertanejo antes ou depois de um show do Criolo, por exemplo. São públicos diferentes, porque forçar os caras ouvirem ao que eles não gostam? Faz uma festa pra todos, cada um no seu espaço, e assim todos são respeitados e promovem suas culturas. Um evento cultural tem que ter música sertaneja, que é parte de uma cultura genuinamente brasileira. A música sertaneja precisa ser respeitada.