Blog Universo Sertanejo

Arquivo : maio 2013

Em nova fase, Hugo e Tiago lançam “Mexe Devagar”
Comentários 5

André Piunti

Hugo e Tiago entram, nas próximas semanas, em uma nova fase.

Como já comentei aqui no blog, a dupla foi escolhida para apresentar o “Festival Sertanejo”, programa que estreia no SBT no mês de junho.

Sabendo da exposição que terá durante todo o segundo semestre, a dupla está lançando música nova. A aposta agora se chama “Mexe Devagar”.

A música pode ser ouvida abaixo e baixada aqui (para baixar, clique na frase “click here to start…”.


Guilherme passa por cirurgia de emergência, e Santiago faz show sozinho em São Paulo
Comentários 3

André Piunti

O cantor Santiago, da dupla Guilherme e Santiago, subiu ao palco sozinho, pela primeira vez em 19 anos, ontem a noite no Villa Country.

De acordo com assessoria da dupla, Guilherme foi submetido às pressas a uma cirurgia de apêndice durante a tarde, em São Paulo, e não pôde se apresentar ao lado do irmão.

Santiago preferiu não cancelar o show e subir ao palco sozinho, na noite que também teve apresentação da dupla Humberto e Ronaldo.

O cantor usou o instagram pra relatar a situação. A foto abaixo também foi postada por ele.

“Hoje enfrentei uma das maiores batalhas de minha vida, tive que enfrentar o palco sozinho pela primeira vez em 19 anos de carreira. Meu querido irmão teve que fazer uma cirurgia urgente apêndice. Agradeço imensamente todos fãs e admiradores que compareceram no show hj no Villa Country e me ajudou a fazer a primeira voz e compreenderam de forma muito simpática. Agradeço muito a Deus pela força!”

Os próximos shows da dupla não serão cancelados. Santiago se apresentará sozinho até que Guilherme tenha condições de voltar, prazo que ainda não foi divulgado. Ainda de acordo com a assessoria, Guilherme está “se recuperando bem”.

Recentemente, quem teve o mesmo problema foi o Daniel.


Asa Branca pede ajuda
Comentários 112

André Piunti

Na última segunda-feira (27), o programa da Sônia Abrão exibiu uma entrevista com o Asa Branca, locutor de rodeios que conseguiu grande destaque principalmente nos anos 1990, até mesmo fora do meio country, uma figura muito conhecida e de grande importância para a divulgação do rodeio no Brasil.

A situação dele, aos 51 anos, é complicada.

Em fevereiro, Asa contraiu neurocriptococose, popularmente conhecida como “doença do pombo”. A doença resultou em complicações no cérebro, e o locutor passou por seis cirurgias no local. Durante a entrevista ao programa, tornou-se público que Asa é portador do vírus HIV.

Sob os cuidados de sua esposa, Sandra dos Santos, ele está precisando de ajuda financeira.

Abaixo, posto uma parte do que foi exibido na última segunda-feira. Na entrevista, nota-se que ele está bastante debilitado após as seis cirurgias que o fizeram ficar 71 dias internado.


Daniel fala sobre críticas que vem recebendo pela trilha de abertura de “Amor à Vida”
Comentários 313

André Piunti

Na semana passada, com repercussão bem positiva, estreou a nova novela das 21h, “Amor à Vida”.

Após uma série inicial de elogios, passou a surgir um tipo de crítica um tanto desconfiável nos jornais, contra a trilha de abertura da novela, composta pelo Gonzaguinha e gravada pelo Daniel, “Maravida”.

De repente, um dos melhores intérpretes que a gente tem na história do sertanejo, um cara extremamente consagrado pela capacidade vocal, tanto pela qualidade da voz em si quanto pela afinação, virou o pior cantor da atualidade segundo diversas notícias em jornalões e sites, principalmente nas áreas que cobrem televisão. Claro, pessoas que entendem absolutamente tudo de música a ponto de cravar que a interpretação do Daniel está horrorosa.

Chegou até a sair em mais de um veículo uma justificativa constrangedora, que dava a entender que, por ser da “Som Livre”, Daniel teria sido uma espécie de “imposição”. O constrangimento surge quando se descobre que o cantor é da “Sony Music” desde 2011, e não da “Som Livre”.

Falei ontem com o próprio Daniel, que não quis entrar na “polêmica”, mas que não deixou de comentar o caso:

“Nós vivemos em um país democrático em que todo mundo tem direito de expressar suas opiniões, e que bom que temos tanta diversidade de preferências e gostos. Foi um privilégio gravar essa canção a pedido dos diretores da novela, e eu estou muito feliz porque os elogios superam as críticas. Me identifiquei muito com a música, gosto de Gonzaguinha e já cantei canções dele em meus shows.”

Ainda na última semana, virou notícia também um tal estrondoso manifesto nas “redes sociais” implorando para que a Globo retirasse a versão do Daniel da abertura da novela e colocasse a da Maria Bethânia. Mil e quinhentas pessoas compartilharam a ideia no Facebook, veja só, quanta gente. Um número imenso, assustador, acachapante, claro, diante dos milhões que assistem ao folhetim todas as noites. Quase uma revolução online.

O paulista Walcyr Carrasco ambientou a novela em São Paulo, colocou Daniel na abertura, a também criticada Paula Fernandes como trilha do casal apaixonado que aparece a todo momento, e o ainda desconhecido Gabriel Valim, com sua “Piradinha”, como música de fundo de uma das personagens que tem tudo pra ganhar muito espaço na novela. Quem o Walcyr pensa que é pra fazer tal afronta musical a um país que só consome “música-de-qualidade”?

Deixando a ironia agora de lado, sejamos claros: Tá doendo.

Deve ser muito difícil mesmo ser acostumado com a panela musical da MPB e defender que sertanejo só pode ter espaço em novela sertaneja, como “América”, “Paraíso” ou “Araguaia”. Deve ser pior ainda saber que os produtos da televisão estão cada vez mais próximos do povo, até mesmo nas escolhas dos artistas que farão as trilhas sonoras. E, ao que parece, é terrível constatar que o seu gosto tão refinado não é compartilhado por tanta gente quanto você gostaria.

Eu torço muito mesmo que a Globo não mexa na trilha de abertura, mesmo já tendo feito alterações sutis. A palavra oficial da emissora é de que “não há previsão sobre a troca da música”. A mudança seria uma vitória de um pensamento preconceituoso que tem sido derrubado com o tempo, mas que tem lá ainda seus surtos eventuais.

É incômodo mesmo ver que críticas rasteiras e mal-intencionadas ainda tenham espaço e repercutam, mas é só mais um capítulo da velha história do brasileiro que não se aceita como brasileiro.

De qualquer forma, apesar do carnaval, ainda estamos ganhando.


Com participações de Roberta Miranda, Zezé e Luciano, Paula Fernandes grava DVD “Multishow Ao Vivo”
Comentários 2

André Piunti

Paula Fernandes confirmou os dois nomes que participarão de seu novo DVD, marcado para o dia 8 de junho, no HSBC Arena, no Rio de Janeiro: Roberta Miranda e a dupla Zezé di Camargo e Luciano.

Em entrevistas, Paula já havia declarado que Roberta Miranda é uma de suas grandes inspirações, já que se destacou nos anos 1980 não só como cantora, mas também como compositora de sucessos importantes no meio sertanejo, como “Majestade, o Sabiá”, por exemplo.

Abaixo, uma foto postada pela Roberta Miranda no Instagram, ao lado da Paula, há alguns bons anos.

Com Zezé e Luciano, a cantora repetirá uma parceria já realizada no último DVD da dupla. A canção gravada em parceria, “Criação Divina”, figurou por mais de três meses entre as mais tocadas do país entre o final de 2012 e início de 2013.

O segundo DVD de Paula Fernandes receberá a assinatura do Multishow. A equipe continua a mesma de seu primeiro DVD: direção de vídeo de Eduardo Levy, e musical de Márcio Monteiro.


Os mexicanos do Maná e o sertanejo
Comentários 9

André Piunti

A série “Bastidores”, que venho publicando há dois meses às segundas-feiras, hoje dá espaço a uma entrevista inusitada (a seção voltará nas próximas semanas).

Entrevistei o Maná, grupo mexicano com 25 anos de carreira, sucesso em vários cantos do mundo e vencedor das mais diversas premiações musicais.

E o que o Maná tem a ver com música sertaneja?

É que dentro de um projeto, que está sendo tocado neste momento, de fazer o nome da banda no Brasil, uma das questões mais importantes na cabeça deles é a de conseguir entrar no nosso mercado de shows sertanejos.

O grupo buscou um profissional bastante conhecido para coordenar a entrada no mercado brasileiro: Rommel Marques, ex-executivo de gravadora (Warner, EMI e Sony no Brasil e BMG em Portugal), e que também foi empresário de Zezé e Luciano, tendo sido um dos produtores de “Dois Filhos de Francisco”.

Ele será o responsável por “posicionar”, verbo que o mercado adora utilizar, a banda no mercado de shows brasileiro. De acordo com Marques, “a intenção da banda é ampliar seu mercado de shows, ir para o interior do Brasil, e não ficar apenas em capitais, como já acontece”.

Quem acompanha o blog, já leu que em uma espécie coletânea recém-lançada no Brasil, o Maná gravou ao lado de Jorge e Mateus e também de Luan Santana (além de Thiaguinho e Jota Quest), o primeiro passo para esse projeto de popularizar o Maná no Brasil.

Recebi o convite para a entrevista e fui lá, claro, entrevistar com o viés sertanejo. A conversa segue abaixo.

O Maná é formado, por ordem da foto, por Juan Calleros (baixo), Sergio Vallín (guitarra), Fher Olvera (voz), e Alex González (bateria).

O Maná já emplacou sucessos no Brasil, já tocou e já ganhou disco de ouro por aqui. O que traz o Maná ao Brasil hoje, com um projeto mais forte para ganhar espaço?

Alex: A ideia é que nós estamos muito interessados em entrar no Brasil. Ele é o único país da América Latina que o Maná ainda não conquistou, e nós achamos que seria muito bom pra gente um contato maior com o público brasileiro. Queremos mostrar nosso trabalho, queremos tocar, e mostrar que nossa música também tem muito a ver com o povo brasileiro.

Gravar com artistas nacionais foi o primeiro passo de vocês pra esse novo projeto. Por que Jorge e Mateus e Luan Santana?

Alex: Foi uma ideia pra gente estar mais junto do público brasileiro. Recebemos algumas recomendações de artistas e gostamos muito de alguns. Gravamos com Jorge e Mateus, Luan Santana, Thiaguinho e Jota Quest. Achamos que nossas músicas poderiam ficar bonitas nas vozes desses artistas. Nos unimos com artistas diferentes, de balada ou de estilo romântico, porque nós não temos preconceito musical, quem conhece a carreira do Maná sabe disso.

Como funcionou a escolha das músicas pra gravar em parceria com os brasileiros?

Fher: Nós demos a liberdade para eles escolherem quais canções interpretar, todas sucessos do Maná, e deixamos todos livres pra que eles fizessem as próprias versões, pra que houvesse a identidade deles também. Nós nos encontramos com todos em estúdio, menos com o Luan Santana, que nós ainda não conhecemos.

Abaixo, segue a parceria com Jorge e Mateus, “Você é minha religião”, canção que está sendo trabalhada nas rádios.

Qual vocês acham a principal dificuldade pro Maná se estabelecer por aqui?

Alex: Não falo em dificuldades, mas nós decidimos que precisamos estar aqui, pois de fora não funciona, talvez isso seja um problema, não estar aqui. Nós estamos aqui pra nos mostrarmos presentes, excursionar, fazer turnês, ficar próximo das pessoas. Temos muitas coisas a nosso favor. O brasileiro sabe que ele tem muito mais a ver com um argentino e um mexicano do que um americano. Os brasileiros entendem mais o que cantamos em espanhol do que canta um artista em inglês, e nem por isso a música em inglês deixa de ser ouvida. Acredito que seja apenas uma questão de estar presente, fazer nosso trabalho aqui.

Vocês tem intenção de entrar no mercado de shows sertanejos, atualmente o maior do país. Vocês conhecem o mercado? Sabem que nem sempre a infra-estrutura é semelhante a que um grupo consagrado no exterior está acostumado?

Sergio: Sim, sabemos como funciona, não há problemas. Ter uma carreira bem sucedida não muda nossa relação com a música, que é o que gostamos de fazer. Nós começamos tocando em bares pra 300, 500 pessoas. Não há problemas em enfrentar coisas diferentes do que estamos acostumados. Nossa intenção agora é chegar até as pessoas, ir onde elas estão e levar nossas músicas.

Vocês estiveram no programa do Ratinho, na semana passada, e também gravaram o Raul Gil, dois programas populares para os quais muita gente torce o nariz…

Alex: O Maná é um grupo que gosta de estar cercado de gente. Não somos elitistas, tocamos coisas muito populares. Não importa quem está nos ouvindo, o que importa é a gente poder compartilhar nossas músicas. Quem nos conhece sabe que somos uma banda sem nenhum tipo de preconceito.

Abaixo, a parceria com Luan Santana, “Porto do Amor”, que deve ser a próxima de trabalho.

Por que vocês acham que a dificuldade é tão grande pra um brasileiro fazer sucesso com música popular fora do Brasil?

Alex: Há uma grande diferença no Brasil em relação aos outros. O Brasil é um país muito grande e muitos artistas brasileiros não veem a necessidade de procurar outros mercados, só o Brasil já é um mercado imenso.

Mas a questão da língua pesa, né?

Alex: Há essa questão sim, mas que não deve ser problema. Eu tenho certeza que as pessoas entendem muito mais uma música em espanhol do que em inglês, e nem por isso elas deixam de ouvir inglês. Nós falamos línguas diferentes e nos entendemos. É uma questão muito mais de estar presente, de estar em turnê em um país, do que exatamente um problema entre as línguas.

Vocês conhecem as versões de músicas de vocês feitas por artistas sertanejos, como “Coração Espinhado”, do Leonardo, e “Um cantinho do seu coração”, do Chrystian e Ralf?

Fher: Nós acabamos conhecendo por YouTube, sempre ficamos surpresos em ouvir nossas músicas na interpretação de outras pessoas, é curioso ouvir uma outra leitura de uma música que você fez.


As músicas sertanejas mais tocadas da última semana (19/05 a 25/05)
Comentários Comente

André Piunti

Abaixo, a lista das músicas sertanejas mais tocadas na última semana, de 19/05 a 25/05.

Após semanas de praticamente nenhuma mudança, uma canção surgiu pra mexer ao menos um pouco com o ranking.

Abaixo das três primeiras, que seguem intactas (Te Esperando, Vidro Fumê e Amiga da Minha Irmã), agora aparece “Se o Coração Viajar”, da Paula Fernandes, em 4º lugar.

A lista abaixo, como se percebe, traz 11 canções. É que em 10º lugar, com 606 execuções durante a semana no Brasil todo, ficaram “E Agora?”, de George Henrique e Rodrigo, e “Tantinho”, do Daniel.

___

Ao lado do nome do artista, entre parênteses, está a posição que a música ocupava uma semana antes.

01 – Te Esperando – Luan Santana (1)
02 – Vidro Fumê – Bruno e Marrone (2)
03 – Amiga da minha irmã – Michel Teló (3)
04 – Se o coração viajar – Paula Fernandes (-)
05 – Louco Coração – Eduardo Costa (4)
06 – Girassol – João Bosco e Vinícius (7)
07 – Deserto – Thaeme e Thiago (8)
08 – Pode ou não pode – Zé Ricardo e Thiago (5)
09 – Clichê – João Neto e Frederico part. Jorge e Mateus (6)
10 – E Agora? – George Henrique e Rodrigo (10)
10 – Tantinho – Daniel (-)

*Fonte: Crowley Broadcast Analisas


Sérgio Reis e Renato Teixeira no Costão do Santinho
Comentários 1

André Piunti

No feriado da semana que vem, de Corpus Christi, Sérgio Reis e Renato Teixeira vão apresentar o show “Amizade Sincera” no Costão do Santinho, resort que fica em Florianópolis e que já realizou outros shows sertanejos.

A intenção do resort é que as pessoas aproveitem a estrutura e ainda assistam ao show. Interessante. Abaixo, segue o release deles. Os que tiverem curiosidade em saber os valores, podem clicar aqui.

“Neste Feriado de Corpus Christi, Sérgio Reis e Renato Teixeira levam seu novo trabalho “Amizade Sincera” para o Resort Costão do Santinho, em Florianópolis/SC.

Amigos há mais de 40 nos, os cantores apresentarão um repertório de sucessos com composições de Teixeira que foram gravadas por Reis ao longo de sua carreira, clássicos como “Tocando em Frente”, “Romaria” e o “Menino da Porteira”.

Além desse grande espetáculo exclusivo, os hóspedes do resort vão aproveitar ao máximo o último feriado prolongado do ano, curtindo todo o encanto do interior com comidas típicas, festas e uma programação especial. Entre as principais atrações do resort estão sua gastronomia, um complexo de piscinas aquecidas, acomodações aconchegantes, o Costão SPA e as diversas atividades de lazer, entre elas, trilhas ecológicas, esportes em geral e de aventura.

Premiado 7 vezes como o Melhor Resort de Praia do Brasil, o Costão está localizado de frente para o mar, em meio a uma natureza exuberante e oferece o sistema VIP Inclusive, ou seja, todas as refeições estão inclusas na estadia, com lanches e bebidas disponíveis o dia inteiro.”


De lançamento em lançamento
Comentários 2

André Piunti

Os primeiros meses do ano foram fracos de lançamentos, no que diz respeito a quantidade. Em maio, de repente, tem músicas e trabalhos sendo lançados todos os dias, e eu vou tentar equilibrar as postagens aqui, pois se não vira um blog só de lançamentos.

Abaixo, três novidades. Volto depois com mais lançamentos.

___

No início da semana, George Henrique e Rodrigo lançaram um vídeo ao lado de Jorge e Mateus, com a música “Conto até 10”. A dupla apadrinhada por Bruno e Marrone segue trabalhando “E Agora?” nas rádios, mas a canção em parceria com Jorge e Mateus vai acabar andando por conta da internet.

___

Também nesta semana, foi lançado um vídeo que gera uma série de discussões, mas que provavelmente vai andar bastante. Thiago Brava, em seu primeiro DVD, gravou ao lado do Catra e do Cristiano Araújo uma canção chamada “Tá Soltinha”. Quem acompanha o blog, deve se lembrar que essa música já apareceu por aqui recentemente.

___

Outra dupla a lançar música nova durante a semana foi Otávio Augusto e Gabriel. Após apostarem em “Copacabana” no início do ano, canção animada, eles voltam ao romantismo com “Desenhando Corações”.


Programa Universo Sertanejo #173
Comentários Comente

André Piunti

Fala, pessoal.

Entrou no ar, no final da tarde de ontem, a 173ª edição do programa Universo Sertanejo, na Rádio UOL.

Nesta edição, os destaques ficam por conta de duas canções muito bonitas recém-lançadas: “Se tudo fosse fácil”, de Michel Teló com Paula Fernandes, e “Diz pra mim”, do Gusttavo Lima.

O programa ainda traz nomes como Chrystian e Ralf, com “Briga de Foice”, Rionegro e Solimões, com “Romântica”, Fred e Gustavo, com “Saber Amar”, Gian e Giovani, com “A próxima vítima”, e Fernando e Sorocaba, com “O que cê vai fazer”, além de vários outros.

Para ouvir o programa, basta clicar na imagem abaixo.

___

01 – Michel Teló com Paula Fernandes – “Se tudo fosse fácil”
02 – Gusttavo Lima – “Diz pra mim”
03 – Fred e Gustavo – “Saber amar”

04 – Pedro e Thiago – “Toque de mágica”
05 – Fernando e Sorocaba – “O que cê vai fazer”
06 – Chrystian e Ralf – “Briga de foice”

07 – Chitãozinho e Xororó – “Página de Amigos”
08 – Rionegro e Solimões – “Romântica”
09 – Gian e Giovani – “A próxima vítima”

10 – Michel Teló – “Aconteceu”
11 – Trio Parada Dura – “Prazer por prazer”
12 – Zé Fortuna e Pitangueira – “Lembranças”