Blog Universo Sertanejo

Arquivo : junho 2013

Pedro Henrique e Fernando, românticos, ao lado de João Bosco e Vinícius
Comentários 2

André Piunti

Pedro Henrique e Fernando já apareceram aqui mais de uma vez, mas sempre cercados de um certo tom de humor.

A dupla escolheu seguir um caminho de músicas engraçadas, investiu nesse estilo, e conseguiu fazer um nome em cima dessa ideia. A imagem deles hoje é mais ligada ao bom humor do que qualquer outra coisa.

Hoje, no entanto, enquanto se preparam pra gravar um novo DVD, eles lançam uma música que mostra um lado não muito conhecido deles, e que precisava ser mostrado, pra que as pessoas não criem a falsa impressão que eles são só dois caras querendo fazer graça.

A canção “Todos os dias” é bem romântica, bem bonita, e de composição de um deles, Pedro Henrique. Pra essa canção, a dupla escolheu João Bosco e Vinícius pra dividir os vocais.

O clipe abaixo, que também está sendo lançado hoje, é de direção do Jacques Jr.


Sertanejos e os views do YouTube
Comentários 2

André Piunti

Foi publicada no jornal “O Dia”, ontem, uma matéria dizendo que artistas sertanejos pagam até R$7,5mil por 1 milhão de exibições falsas no YouTube, com o intuito de bombar o vídeo e sair dizendo por aí que a música está “estourada”.

Segundo o jornal, um rapaz chamado “Magalhães” confidenciou ao jornalista Leo Dias, que se passou por um produtor, que já havia feito trabalhos pra Luan Santana, Gusttavo Lima, Munhoz e Mariano, entre vários outros.

O assunto “manipulação de números” no meio sertanejo não é tabu. Seja Youtube, Facebook, Twitter ou qualquer outra rede social, sempre há a conversa de “bombar” o artista mesmo que os números não sejam reais. Basta uma busca qualquer no Google que é fácil também achar quem proponha venda de visualizações ou aumento de números em redes sociais.

A grande questão da notícia publicada é que os artistas mais renomados são mais cuidadosos com o assunto, justamente pelo fato de saber que se estoura uma notícia como essa que estourou, fica feio pra eles. É do conhecimento geral que há pessoas que trabalham com o intuito de burlar o sistema, mas o que se sabe é que os nomes mais conhecidos não são adeptos desse tipo de “promoção” justamente pelo que já foi explicado. Ainda há o fato de que os escritórios profissionalizaram seus setores digitais, o que deixou práticas do tipo mais distantes.

Conversei hoje com o Marquinho da Audiomix (empresário de Gusttavo Lima, Jorge e Mateus e outros vários nomes), que nunca dá entrevistas, e ele fez um rápido comentário sobre o assunto, não dando muita importância pra repercussão gerada.

“Eu não gosto de falar, não gosto de aparecer, você sabe, mas sobre esse assunto, quem é mais esperto, mais entendido de internet, vai ver que meus artistas são os que tem menor visualização no YouTube entre os grandes, é só comparar com os outros, só que são os que mais levam público nos shows.

Jorge e Mateus e Gusttavo Lima são os artistas que mais levam gente hoje no Brasil. Meu negócio é outro, não fico gastando dinheiro com esse tipo de coisa, é só ter boa vontade de pesquisar que dá pra ver que eu não perco tempo com isso”.

A principal ferramenta utilizada pelos sertanejos hoje no YouTube é o “anúncio”, pra não usar o nome em inglês. Se você procurar algum nome sertanejo no YouTube, vão surgir dois vídeos patrocinados antes dos resultados da sua busca. Pelo tanto que se usa, a ferramenta parece ter caído no gosto dos escritórios. E é claro que é muito mais válido do que um par de visualizações falsas.

Gusttavo Lima e Luan divulgaram notas ontem em tom indignado contra as acusações. Luan chegou até a dizer que abre seus vídeos para auditoria, caso alguém duvide dos números.

Não sei se alguém pretende levar o assunto adiante. Mesmo não acreditando, seria bom que algum escritório insistisse no assunto e provasse, já que a notícia acabou recaindo sobre muita gente que não tem nada a ver com o assunto. A repercussão, ontem e hoje, foi bem grande e negativa.


“Tá Estourada”, lançamento de Jeann e Julio
Comentários 1

André Piunti

Eles já não se encaixam mais no que costumamos chamar de “duplas novas”, apesar de terem surgido em 2008.

Jeann e Julio são nomes conhecidos da nova geração sertaneja, dupla que já cedo conseguiu destaque no Paraná, e que vem, pelo menos há dois anos, cavando seu espaço nacionalmente.

Já tiveram música em novela, fizeram boas parcerias, compuseram pra outros artistas e gravaram ao lado de nomes como Fernando e Sorocaba e Guilherme e Santiago.

A dupla está lançando um CD em comemoração aos 5 anos de carreira. Hoje, terça-feira, é lançamento de uma música nova, chamada “Tá Estourada”.

Um clipe foi feito para o lançamento, e pode ser conferido abaixo. A direção é do André Jacques.


De volta: Luiz Cláudio e Giuliano retomam parceria. Ouça a nova música.
Comentários 9

André Piunti

No final de 2009, com quase 20 anos de parceria, Luiz Cláudio e Giuliano se separaram. O motivo, segundo eles, era “incompatibilidade de ideias”.

Nos últimos três anos, eles apostaram em projetos diferentes. Luiz Cláudio preferiu a carreira solo, chegou até a lançar um DVD. Giuliano investiu na carreira de produtor, mas tentou não abrir mão dos palcos: formou o projeto Shakundun, além das duplas Daniela & Giuliano e Giuliano Matheus & Rodrigo.

Luiz Cláudio e Giuliano estão retomando a carreira juntos, e lançam hoje a primeira música após o retorno. A canção “Anos 60”, que pode ser ouvida abaixo, faz uma brincadeira com as pessoas que não se encaixam na “modernidade” dos relacionamentos de hoje em dia.

Quem quiser, pode baixar também. Mais abaixo, segue uma entrevista com a dupla.

___

Vocês se separaram por diferença de ideias, tinham planos diferentes. Como está a relação de vocês? Como foi essa reaproximação?

Giuliano: Nós pensávamos diferente um do outro em alguns detalhes da carreira e musicalmente também. Nossa relação sempre foi de respeito, nunca chegamos a nos agredir em palavras ou muito menos fisicamente. Depois de três anos separados, o Luiz Cláudio escreveu algumas palavras por email e mostrou humildade, amizade e respeito. Isso me fez pensar e logo em seguida voltamos a nos falar e assim pensar na volta, pois para nós dois, a história estava mal resolvida, não poderia acabar assim, nossos sonhos, tanto sofrimento, noites e noites viajando, divulgando e cantando.

Luiz Cláudio: Todos nós passamos por altos e baixos em relações, e em uma relação de 18 anos de convivência profissional, o desgaste é inevitável. Creio que precisávamos de um tempo para refletir, aprender e foi exatamente o que aconteceu. Acredito que estamos mais amadurecidos e experientes pra vivermos um novo ciclo profissional e de amizade.

Como vocês analisam os projetos que vocês lançaram separados? Se arrependem da separação ou acham que foi necessário?

Luiz Cláudio: Como eu disse, tudo o que aconteceu só acrescentou na experiência e maturidade, com certeza poderemos utilizar esse aprendizado em nossa carreira daqui pra frente.

Giuliano: Acho que foi tudo muito necessário. 
Com certeza aprendemos mais com esses obstáculos, tivemos que crescer espiritualmente para entender melhor as coisas, perdoar e ser perdoados.

O mercado tem ficado cada vez mais competitivo. Qual o plano de vocês pra conseguir entrar novamente nesse mercado?

Luiz Cláudio: Sabemos que o público que curte a música sertaneja, a cada dia que passa, quer mais novidades, e por isso estamos preparados pra mostrar nossa verdade musical de forma moderna e atual, sem perder nosso estilo que com certeza nos fez permaenecer na memória de muita gente que acompanhou e acompanha nossa carreira. Acima de tudo, temos que realizar o nosso melhor, só assim conquistaremos nossa fatia do mercado.

Apesar de algumas músicas mais agitadas, vocês se destacaram pelo romantismo. Qual o estilo da dupla agora?

Luiz Cláudio: Permanecer assim, essa é nossa verdade musical. Claro que temos que acompanhar a modernidade, atualizando sempre nosso repertório, os arranjos pra conquistar todas as faixas etárias, balanceando com a opinião do público que já conhece nosso estilo.

Vocês estão lançando uma música agora. Há um CD nos planos ja?

Giuliano: Sim, já estamos preparando o repertório do CD, tem muita novidade legal, em breve. Sobre a música, “Anos 60”, eu fiz também com meu filho Thiago Matheus. Sentimos que essa música tem a nossa cara, cantamos para alguns amigos, contamos a história, vimos e sentimos a emoção nos olhos das pessoas. A letra fala da família, do neto, do avô, da avó, e da realidade de hoje.
 O amor tem que estar presente em qualquer lugar, em casa, na festa, nas baladas, nas ruas.
 Esperamos que curtam e cantem com a gente “Anos 60”.



As músicas sertanejas mais tocadas da última semana (26/05 a 01/06)
Comentários Comente

André Piunti

Abaixo, a lista das músicas sertanejas mais tocadas na última semana, de 26/05 a 01/06.

Finalmente, após quase dois meses, a lista passou por uma mudança considerável, apesar de a liderança continuar com “Te Esperando”, do Luan, seguida de “Vidro Fumê”, de Bruno e Marrone.

A canção “Choro”, do Leonardo, apareceu pela primeira vez no top 10 já no 3º lugar. A nova música de trabalho dele foi lançada há exatamente uma semana.

João Bosco e Vinícius colocaram “Girassol” em sua melhor posição até agora, 5º lugar, e Fernando e Sorocaba voltaram ao ranking agora com sua nova música de trabalho “O que cê vai fazer”, em 8º lugar.

___

Ao lado do nome do artista, entre parênteses, está a posição que a música ocupava uma semana antes.

01 – Te Esperando – Luan Santana (1)

02 – Vidro Fumê – Bruno e Marrone (2)
03 – Choro – Leonardo (-)
04 – Amiga da minha irmã – Michel Teló (3)
05 – Girassol – João Bosco e Vinícius (7)
06 – Louco Coração – Eduardo Costa (6)

07 – Se o coração viajar – Paula Fernandes (4)


08 – O que cê vai fazer – Fernando e Sorocaba (-)

09 – Deserto – Thaeme e Thiago (8)
10 – Pode ou não pode – Zé Ricardo e Thiago (9)

*Fonte: Crowley Broadcast Analisas


Sertanejo no Hopi Hari parece ter futuro; Victor e Leo seguem com língua afiada
Comentários 5

André Piunti

Apesar de a ideia de um festival sertanejo no Hopi Hari ser interessante, o evento andava cercado de desconfiança.

Feriado, tempo muito ruim até quinta-feira, programação alterada no meio do caminho, além do fato de o Hopi Hari ficar no meio da pista, sem nenhuma cidade colada nele, apesar da região populosa.

A primeira noite do “Country in Park”, no entanto, passou uma impressão de que, tendo continuidade, o evento pode virar algo muito grande. As atrações do sábado foram Zezé di Camargo e Luciano, Victor e Leo e Fernando e Sorocaba.

De acordo com a organização do evento, a noite de ontem recebeu 8 mil pessoas. É claro que o número ainda é baixo se tratando de três shows de peso, mas o resultado me pareceu muito mais animador do que frustrante.

Tanto pela transmissão do Multishow quanto no local, a questão visual ficou muito boa, já que se o parque comporta um número bem maior de pessoas, os locais com boa visão para se assistir aos shows pareceram bem justos para as oito mil presentes.

Título do álbum

Hopi Hari

Olhando o Twitter agora que os shows acabaram, me parece que o assunto mais discutido foi o comportamento do Leo, diferente, mais agitado, assim como o show deles, que de fato está mais pra cima. Nos corredores do evento, o assunto mais repercutido vinha da mesma dupla, mas do outro integrante. Victor disse, durante a coletiva, a seguinte frase, publicada aqui: “Não deixaria meus filhos ouvirem a maioria das músicas sertanejas atuais. Pornografia e sensualidade excessiva em canções não é para criança ouvir”.

Tenho algumas opiniões a respeito dos comentários que a dupla anda fazendo em entrevistas desde o ano passado, mas aproveitei pra convidar o Victor pra uma entrevista pra série “Bastidores” pra colocar todo o assunto em pauta. Vamos ver.

Ficou claro, como já era de se imaginar, que o grande desafio do evento é ter sucesso propondo uma forma diferente de diversão, além da música, que não seja bebida, farra ou montaria. Não é fácil, mas os primeiros resultados dão certa esperança.

A noite de domingo terá Thaeme e Thiago, Michel Teló e Luan Santana, todos com transmissão do Multishow. Volto após o encerramento do evento pra fazer um balanço e discutir alguns outros pontos.